Blog de acompanhamento ao projecto de 3º ano de NTC, no ano lectivo de 2010/2011.
18
Mar 11

Tecnologias Client-Side


Da perspectiva client-side, dividimos as possibilidades em três grupos ,uma vez que não seria de todo útil avaliar algumas das tecnologias individualmente, como o CSS e o JavaScript, que são utilizados num contexto de integração no HTML.


Analisámos também o XML, uma vez que este desempenha um papel fundamental na manutenção dos dois últimos suportes por nós referenciados.


XML

O que é?

XML (de Extensible Markup Language) é um conjunto de regras para codificar documentos num formato legível pelas máquinas, produzido pelo W3C e com foco na simplicidade de uso e utilização pela internet.


Forças

  • Foi originada numa instituição de padronização, a W3C.

  • É baseada em texto.

  • Suporta Unicode.

  • É editável, devido à popularidade do XML nos dias de hoje, com diferentes níveis de automação, em qualquer ambiente.


Fraquezas

  • Demasiado complexo, ao lado das alternativas. Dificilmente utilizável pelo utilizador "leigo".

  • Pode ser substituído por formatos mais simples como o YAML e JSON.


Fontes


CSS + HTML + Javascript

O que é?

O conjunto mais utilizado actualmente no desenvolvimento para Web. A ideia seria utilizar o css para estruturação de layouts/aspecto gráfico, o HTML como base, e o JavaScript para animações e interacção avançada.


Forças

  • As páginas desenvolvidas deste modo tendem a ser mais "leves" que as geradas nas outras duas tecnologias aqui apresentadas.

  • Após a implementação do template, a facilidade de manutenção é bastante elevada. Os conteúdos respectivos aos 3 pólos (css, html, javascript) são armazenados em documentos separados.

  • Fácil estruturação e separação do conteúdo (HTML / CSS / JavaScript).

  • Páginas suportadas pela maioria dos dispositivos móveis.

  • Funcionalidades de animação cada vez mais complexas (em termos de visualização), mas facilmente implementáveis através de inúmeros plugins (como o jQuery) .


Fraquezas

  • Exigem um grau superior de literacia (comparado com as restantes tecnologias aqui apresentadas) e competências de programação (javascript). Existem no entanto disponíveis bastantes bibliotecas de funções, e plugins, que têm como objectivo a simplificação da introdução de recursos. (jQuery, Prototype, Dojo).

  • Alguns elementos mais avançados nas últimas versões de CSS e JavaScript, não são suportados por todos os browsers.

  • Alternativas como o Adobe Flash são mais orientadas para designers e animadores, sendo possível "escapar" às linguagens de programação.


Fontes


Adobe Flex ( + Adobe Flash )

O que é?

O Flex é uma tecnologia desenvolvida pela Adobe para a criação de aplicações ricas na Internet, baseadas na plataforma do Flash. É o concorrente directo do Mircosoft Silverlight, partilhando algumas funções como a compatibilidade multi-plataformas, a integração da linguagem XML, orientação da linguagem para objectos, ferramentas dedicadas à compilação, e suporte directo com JAVA e AJAX.


Forças

  • Destaca-se no entanto por ter ferramentas direccionadas para designers, e pela integração com os diversos produtos da Adobe.

  • Linguagem orientada para objectos

  • Acesso facilitado a serviços web e comunicação directa com todo o tipo de tecnologias server-side

  • Ferramentas dedicadas ao Design

  • Suporte directo com JAVA e AJAX, para além de suporte para XML


Fraquezas

  • Falta de integração de linguagens de programação utilizadas no restante desenvolvimento para Web e offline.

  • Não é adequada para a implementação da totalidade de um website, mas sim para aplicações e secções da aplicação.

  • Os resultados não são tão fluídos como os apresentados utilizando CSS+HTML+JavaScript.

  • Problemas de integração com os motores de busca


Fontes



Microsoft Silverlight

O que é?

O Silverlight tem todos os aspectos referidos anteriormente, apresentando também algumas vantagens. É importante realçar que aparece 10 anos mais tarde em relação ao Flash, que se encontra neste momento integrado na maioria dos sistemas.


Forças

  • Nos pontos positivos é importante destacar o suporte com Visual Basic, e C#.

  • Conteúdos facilmente identificáveis pelos motores de busca

  • Linguagem orientada para objectos

  • Acesso facilitado a serviços web XML

  • Suporte directo com JAVA e AJAX


Fraquezas

  • A tecnologia e muito recente, sendo então pouco desenvolvida e tendo prevista uma fraca penetração no mercado a curto prazo.

  • Incompatível com versões antigas do Windows, como o Windows 2000 e 98.

  • Necessidade de software específico para suporte.


Fontes


Optou-se pelo uso de HTML + CSS + Javascript, por todas as vantagens apresentadas anteriormente. O desenvolvimento de uma aplicação em Silverlight ou Flex, apresentaria uma maior complexidade de interacção com as bases de dados que acabaria por não compensar. As tecnologias escolhidas são do domínio do grupo, o que facilita a aposta em outras vertentes do trabalho.


A utilização tanto do Flex (Flash) com o do Silverlight, traria acima de tudo problemas de fluidez de utilização do portal. Uma vez que se pretende agrupar bastantes funções, a simplicidade é um factor fundamental que terá que ser respeitado ao máximo.


No seguimento dessa escolha, há toda uma série de tecnologias para o desenvolvimento quer de comunidades quer da ferramenta de edição vectorial que necessitam de ser analisadas. A nível da construção dos mecanismos que irão possibilitar a interacção entre utilizadores e a manipulação da base de dados subjacente, foram considerados vários Content Management Systems, a apresentar de seguida.


Março 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
14
16
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
30


arquivos
pesquisar blog
 
blogs SAPO